"Que bobice é essa aí?" - irmã Luana | "Ai, misercórdia" - irmão Antônio | "Deve ser muita falta do que fazer pra criar algo assim" irmã Kátia | "Até que é legal" irmão Júnior

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Conversa de Biruta #3: Ela escolheu esperar (de novo?)



É sério que ainda se usa o termo “Varão”? ... peraí, acabaram de me confirmar... é sério.
Não está fora de contexto não? Esse termo poderia ser adaptado melhor, talvez usar homem de Deus, garoto do Senhor, rapaz cristão, mas... varão? O que o pessoal que não participa do meio evangélico pode pensar com isso? Várias coisas, menos homem.
Eu sei que cada tribo, raça, cultura adere aos seus próprios termos... joinha! Mas eu estou pensando que o cristão deve estar inserido na cultura de sua própria região para conseguir expressar melhor o Evangelho do Amor de Cristo. Assim fica mais fácil se conectar com a pessoa para falar desse tesouro precioso que possuímos. Não, não, não... não estou dizendo que se uma cultura adere à prostituição os cristãos devem praticar tal ato, ou qualquer outro tipo de pecado, como corrupção por exemplo. Estou falando em cristãos que não usem o linguajar crentês, evangeliquês ou coisa do gênero quando for conversar com uma pessoa não transformada por Jesus.
O que Jesus fez ao seu tempo foi falar na língua do povo de sua época, de maneira simples e arrebatadora, todos entendiam o que ele dizia. Ele comparava o Reino de Deus com coisas práticas do cotidiano. Hoje fica mais difícil entender o que é um grão de mostarda, quase ninguém da cultura brasileira conhece um grão de mostarda. Talvez, Jesus em nossa época usasse outros termos como ‘conectados com Deus’ ou ‘cada um tem um chip adormecido dentro de si, mas Deus é a energia que liga esse chip’ ou sei lá... mas faz muito mais sentido na sociedade de hoje.
Vamos falar algo relevante, e para isso as palavras devem fazer parte do contexto de nosso cotidiano.
Comentários
1 Comentários

1 comentários:

crenteazedo disse...

Eu já fui chamado de varão! Tem a versão feminina também "Varoa".